Advertisement

sábado, 15 de novembro de 2014

Manifestação por impeachment da presidente Dilma Rousseff reúne 10 mil pessoas em SP, diz PM

O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB), que foi candidato a vice na chapa de Aécio Neves, participou neste sábado, 15, da passeata na Avenida Paulista que pedia o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) e uma intervenção militar no Brasil. O tucano preferiu acompanhar o evento da rua em vez de subir em um dos três carros de som do evento. "Há um exagero da imprensa em relação a meia dúzia de gatos pingados que defendem a intervenção militar. É evidente que sou contra e o PSDB também", disse Aloysio ao jornal O Estado de S. Paulo. Além do senador tucano, vários militantes da juventude do PSDB, alguns empunhando bandeiras de Aécio Neves, estavam na Paulista, e também o vereador paulistano e deputado estadual eleito Coronel Telhada (PSDB). Aloysio disse ainda que é contra o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff "neste momento". "O impeachment pode vir a ser colocado dependendo da investigação. O que nós queremos é a apuração", afirmou, referindo-se aos possíveis desdobramentos da Operação Lava Jato da Polícia Federal. Aloysio também criticou a entrevista coletiva do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que neste sábado afirmou que a oposição está usando politicamente o escândalo da Petrobras a fim de promover um "terceiro turno das eleições". "A declaração do ministro foi lamentável", disse. A manifestação na Paulista reuniu, segundo a Polícia Militar, 10 mil pessoas, e, segundo os organizadores, 50 mil. O grupo se dispersou em três. O carro de som com os que defendiam a intervenção militar desceu a Brigadeiro Luís Antônio rumo à Assembleia Legislativa. O segundo grupo, o mais volumoso, desceu a Brigadeiro no sentido centro até a Praça da Sé. Um terceiro grupo permaneceu em frente ao vão do Masp

Nenhum comentário:

Postar um comentário