terça-feira, 3 de março de 2015

Doleiro diz que obras em refinaria geraram propina para PP, PSDB e PSB

Segundo reportagem da Folha de S.Paulo, o doleiro Alberto Youssef revelou em depoimentos ter repassado propinas a integrantes dos partidos PP, PSDB e PSB em contratos da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. O depoimento foi dado durante investigações da operação Lava Jato.
Entre os nomes citados pelo doleiro estão o do senador Ciro Nogueira (PP-PI), presidente do PP, o deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE), o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), morto em agosto, e o ex-presidente do PSDB Sérgio Guerra, que morreu em março passado.
A Procuradoria-Geral da República promete divulgar nesta semana a lista dos políticos envolvidos no caso.
Em um dos depoimentos, Youssef indicou que Nogueira e Fonte receberam entre 2010 e 2011 parte da propina paga pela construtora Queiroz Galvão em um contrato para implantação de tubovias em Abreu e Lima.
Segundo auditoria da Petrobras, em 2010 as construtoras Queiroz Galvão e a Iesa assinaram contrato no valor de cerca de R$ 2,7 bilhões para a implantação de tubovias na refinaria.
De acordo com o delator, o suborno foi negociado ainda antes da assinatura do contrato, em uma reunião da qual participaram um representante da Queiroz Galvão, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, o então presidente do PP, José Janene, morto em 2010, o ex-assessor do PP João Genu e Youssef.

BOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Web Statistics