TV Centro Sul

terça-feira, 12 de maio de 2015

Deputados são barrados em visita surpresa ao Hospital Albert Sabin

Uma comissão formada pelos deputados estaduais Audic Mota, Danniel Oliveira, Silvana Oliveira e Walter Cavalcante foi barrada na entrada de emergência do Hospital Albert Sabin e só conseguiram entrar após contato com assessoria de comunicação da unidade hospitalar. No local, os parlamentares constataram a superlotação de crianças com sintomas de dengue, sarampo, catapora e outras viroses lotando os corredores do equipamento. 
Nos corredores, pais e familiares dos pequenos pacientes reclamam da falta de médicos, consultas e atendimento prioritário aos com necessidade especiais. Conforme a operação Corredômetro, 57 crianças estavam sendo atendidas nos corredores da unidade nesta terça-feira.
Ao tentar o acesso na entrada de emergência, o segurança vetou a entrada dos parlamentares, apesar de o grupo ter se identificado como deputados. A ordem passada pela diretoria do Hospital era que procurassem atendimento em outra entrada. Após o desentedimento, os partidários foram recebidos pela assessoria de imprensa que recebeu e os guiou pelas dependências do hospital.
A diretora do hospital não estava presente na chegada dos deputados, pois estava em horário de almoço. Durante a visita aos corredores e leitos, a gestora foi informada da presença dos deputados e se encaminhou ao local. Segundo os deputados, ela informou que  a unidade está sofrendo com a falta de leitos e recursos financeiros por parte do Estado. As reclamações de pais e dos próprios funcionários da unidade serão apresentadas em uma audiência na Assembleia Legislativa do Estado do Ceará (Alce).
Dayane Nunes, dona de casa, desde segunda-feira (11), tenta ser atendida com seu filho com sintomas de dengue. Ela chegou por volta de 11h30 e saiu sem nenhum atendimento às 23h. Nesta terça-feira, a mãe levou novamente a criança à unidade, e um exame de sangue diagnosticou o baixo número de plaquetas, confirmando o diagnóstico de dengue.
Dayane aguardou durante toda o dia a transferência da filha para um leito em outro unidade, mas não ainda sem resposta até o fim desta tarde. "Nossas crianças estão sendo atendidas como animais. Falta alimento e medicação. É triste", lamentou a mãe.
Demanda
 
O Hospital Infantil Albert Sabin informou, por meio de nota, que conta com o total de 306 leitosdivididos em Enfermarias, Observação, UTI Pediátrica, UTI Neonatal, Oncologia e Pós-cirúrgicos, destes, 45 são de UTIs. Devido ao atual período sazonal e aumento progressivo da demanda, como casos de sarampo e conqueluches, por exemplo, importantes ações estão sendo feitas para agilizar ainda mais o processo e garantir a segurança da saúde do paciente, como o reforço da equipe médica e técnica, o aumento da quantidade de leitos de retaguarda no SOPAI (80) e Hospital da Mulher (30).
 
Além do aumento de 15 leitos extras no Albert Sabin, em média, 12 a 15 transferências são realizadas diariamente para outra unidade hospitalar conforme o diagnóstico da criança, permanecendo no Albert Sabin os pacientes com perfil de assistência terciária. Neste ano, até o mês de abril, 3.196 internações foram registradas.
 
A equipe clínica e técnica diária, a cada turno (manhã, tarde e noite), conta com 10 pediatras e sete enfermeiros, além de um auxiliar de enfermagem para cada seis leitos, cuja quantidade de profissionais pode ser alterada para mais, conforme a demanda. Sobre o atendimento de emergência, o sistema de atendimento na Emergência é baseado nas diretrizes da Classificação de Risco que otimiza a identificação da prioridade clínica de acordo com a gravidade.
 
Quando o quadro clínico da criança não é identificado como grave, os pais são orientados pela equipe do Albert Sabin sobre o tempo de espera, a qual pode ser mais prolongada. Em média, por mês, são realizados mais de 4 mil atendimentos na Emergência do Hospital Infantil Albert Sabin.

Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Web Statistics