Advertisement

terça-feira, 5 de maio de 2015

Para Janot, há ‘elementos muito fortes’ para investigar Eduardo Cunha



O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou um parecer ao Supremo Tribunal Federal (STF) em que defende que há “elementos muito fortes” para investigar o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O documento, disponibilizado nesta segunda-feira (4) pelo órgão, foi protocolado em resposta ao pedido do deputado para arquivar a investigação. Agora, a decisão sobre a manutenção do inquérito caberá à Corte – responsável por julgar o presidente da Câmara caso haja denúncia formal da PGR. “... Fato é que o colaborador Alberto Youssef reiterou, e com razoável detalhamento, que Eduardo Cunha era beneficiário dos recursos e que participou de procedimentos como forma de pressionar o restabelecimento do repasse dos valores que havia sido suspenso, em determinado momento, por Júlio Camargo”, defendeu Janot na peça, de acordo com o G1. Durante a delação, o doleiro afirmou que Cunha chegou a pressionar Camargo – empresário envolvido no esquema de corrupção – por meio de requerimentos aprovados na Câmara, para que o empresário retomasse o repasse de valores desviados de contratos para o PMDB. Por meio da assessoria, o presidente da Câmara afirmou que considera “estranho” o comentário de Janot e afirmou que o documento é “mais uma tentativa de envolvê-lo nas denúncias”. Desde o início das investigações, o deputado federal nega ser responsável pelos requerimentos, que seriam responsabilidade da então deputada Solange Almeida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário