quarta-feira, 3 de junho de 2015

Sob investigação, Leonelzinho Alencar é afastado por 180 dias da Câmara de Fortaleza

O Ministério Público do Estado do Ceará e a Polícia Civil cumpriram mandatos de busca e apreensão no gabinete de Leonelzinho
GJL_7647
O presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, vereador Salmito Filho (Pros), oficializou, no plenário da Casa, a decisão judicial que determina o afastamento do vereador Leonelzinho Alencar (PTdoB) por 180 dias das atividades parlamentares. Na manhã desta terça-feira, 2, o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) e a Polícia Civil cumpriram mandatos de busca e apreensão no gabinete de Leonelzinho.

Salmito Filho, que está atualmente em licença paternidade, foi à Câmara após a divulgação da operação contra o parlamentar. Em plenário, o presidente confirmou que houve buscas e apreensões no gabinete do vereador. A decisão judicial, conforme Salmito, foi protocolada às 8 horas.
A ação na Câmara, comandada pela Procuradoria dos Crimes contra a Administração Pública (Procap), investiga suposto desvio da verba de desempenho parlamentar (VDP) para uso pessoal e desvio de verba destinada ao Instituto Jáder de Alencar para fins sociais que era usada para publicidade do mandato de Leonelzinho.
“Não existe nenhum centavo de real aplicado da Verba de Desempenho Parlamentar que não seja com licitação”, afirmou Salmito.
Aos vereadores, o presidente pediu que aguardem outras informações que serão dadas pelo Ministério Público em coletiva de imprensa na tarde de hoje. Salmito afirmou que as informações que tem soube através da imprensa. Ele ressaltou que já solicitou ao MPCE e ao Poder Judiciário mais detalhes sobre as investigações.
Salmito pediu aos vereadores que fazem disputa eleitoral com Leonelzinho que tenham “comprensão, respeito e alto nível”.
“Não temos absolutamente nada a temer, temos que dar uma satisfação à sociedade de Fortaleza e dizer que nós já estamos contribuindo com total transparencia e vamos acompanhar esse caso como fizemos, desde 1° de janeiro, com o caso do A Onde É (ex-vereador Antônio Farias de Sousa), garantimos todos os seus direitos e exigimos os seus deveres”, disse Salmito.
O presidente pontuou que não estava fazendo comparação de casos ao citar a investigação que culminou com a renúncia de A Onde É.
Fonte: Jornal O Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Web Statistics