Advertisement

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Em Mauriti, furtos em obra da transposição do São Francisco causam prejuízo de R$ 2 milhões

Uma operação da Polícia Militar (PM) desarticulou uma esquema criminoso de furto em uma obra de transposição do rio São Francisco, no município de Mauriti, interior do Ceará, ontem. Na ação, os policiais recuperaram R$ 50 mil em materiais de construção furtados. A construtora avalia um prejuízo acumulado de R$ 2 milhões. Um funcionário da empresa é suspeito de envolvimento no crime.

Conforme a Polícia, duas pessoas foram detidas. A PM apreendeu duas toneladas de ferro, 71 peças de andaimes importados do Canadá, folhas de madeireite, mantas de revestimento, 50 metros de mangueira, além de carro de mão e caixotes com ferramentas. O material foi encontrado em um depósito de construção na rua José Quintino, distrito de Umburanas, para onde era desviado.

O dono do estabelecimento é José Queiroz da Silva, 45, sem antecedentes. Ele foi preso em flagrante. No local, os policiais também encontraram uma espingarda.

O funcionário da construtora suspeito de participação no esquema é Lucivan Severino de Sousa, 27, cunhado de José Queiroz. Os dois foram levados para a Delegacia do município - José foi autuado em flagrante por receptação e posse ilegal de arma de fogo, enquanto Lucivan acabou liberado por não haver flagrante contra ele. Apesar disso, ele será indiciado no inquérito policial por furto.
 
Investigação

A Polícia começou a investigar o esquema após denúncias anônimas. Vários boletins foram registrados na delegacia, por trabalhadores que sentiam falta dos materiais. As investigações continuam no sentido de apurar a existência de outros suspeitos envolvidos, além de descobrir há quanto tempo os objetos eram roubados.

Lucivan disse que o delito era cometido há cerca de dois anos e que, aos poucos, ele retirava os materiais. Os dois infratores confessaram a prática criminosa, segundo a Polícia.

A construção dos canais dos eixos norte e leste da transposição do Rio São Francisco já consumiu R$ 6,5 bilhões em recursos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) desde 2008. Atualmente, o projeto está orçado em R$ 8,2 bilhões, quase o dobro dos R$ 4,6 bilhões previstos inicialmente.

A inauguração dos dois eixos estava programada para 2012, mas foi sendo sucessivamente adiada. O novo prazo agora é janeiro de 2017.

O adiamento é resultado de discordâncias contratuais entre governo e empresas, além de erros nos projetos básicos da obra, que originaram novas licitações. O POVO

Nenhum comentário:

Postar um comentário