sábado, 21 de abril de 2018

Declaração de Ciro Gomes gera debate na Assembleia Legislativa do Ceará

A deputada Dra. Silvana (PR) defendeu, nesta quinta-feira (19/04), durante o primeiro expediente da sessão plenária da Assembleia Legislativa, a Igreja Evangélica de supostas declarações do ex-ministro Ciro Gomes, que teria comparado congregações ao narcotráfico, em termos de financiamento de campanhas de políticos.
“Se é verdadeiro esse pronunciamento, como está nas redes sociais, posiciono-me que o dinheiro que vai para a casa do senhor é sagrado. É um dinheiro que não nos pertence. Nunca recebi um centavo ou tive um santinho pago por por qualquer igreja. Meu povo não está no mesmo balaio de traficante”, afirmou.  
A deputada adiantou que está elaborando nota de repúdio que entregará a Ciro Gomes, em face das declarações atribuídas a ele e divulgadas nas redes sociais. Dra. Silvana lembrou que nasceu em uma família evangélica, e sua mãe trabalhou como empregada doméstica e prosperou por ser crente. “Se não for fake, que Ciro Gomes se retrate publicamente”, observou.  
De acordo com a parlamentar, nas últimas eleições, ela obteve 42.409 votos sem ter um comitê. “O povo viu em mim a coragem de dizer o que eles pensam. Mas o dinheiro do dízimo é sagrado e nunca foi utilizado em minha campanha política. Espero que seja fake. Crimes virtuais são perversos. Sou açoitada todo dia nas redes sociais. Nem me importo mais”, frisou.
A deputada afirmou que a sua igreja repudia as supostas declarações de Ciro Gomes, porque, segundo ela, a congregação de que participa não patrocina partido político. “O presidente da Assembleia de Deus, José Bezerra de Oliveira, jamais pagou um santinho para nós, mas confia em nosso trabalho”, disse. Dra. Silvana considerou que o Brasil está atravessando um momento de intolerância.
Em aparte, o deputado Roberto Mesquita (Pros) afirmou torcer pela eleição de um presidente cearense. “O bairrismo nos contagia. Mas dá tristeza me afastar de Ciro Gomes. Ele só não foi eleito por tratar assuntos com arrogância e desdém. Ele está sendo perverso e falso. Não poderia fazer analogia entre evangélicos e traficantes”, comentou.
O deputado Tin Gomes (PDT) disse que a deputada, antes de acusar, deveria verificar se o fato é verdadeiro. “Você acha que ele iria dar uma declaração dessa? Vão aparecer muitas declarações falsas nessa campanha eleitoral”, advertiu.


O deputado Ferreira Aragão (PDT) defendeu, durante o primeiro expediente da sessão plenária desta quinta-feira (19/04), o ex-ministro e pré-candidato à Presidência da República Ciro Gomes. De acordo com o parlamentar, Ciro Gomes jamais diria as coisas que atribuíram a ele. “Estão distorcendo suas palavras para descredibilizá-lo na corrida eleitoral”, defendeu.
Em pronunciamento anterior, a deputada Dra. Silvana (PR) chamou a atenção para um áudio em que, supostamente, o ex-ministro teria relacionado as congregações religiosas ao narcotráfico.
Ferreira Aragão afirmou que a divulgação dessa gravação é no sentido de colocar os evangélicos contra Ciro Gomes e inviabilizar esses votos. “Ele não fez nenhuma comparação, e quem sabe ler nas entrelinhas entende. Ninguém aqui é burro”, observou.
O parlamentar considerou ainda a existência de bons cristãos e de falsos profetas. Ele ponderou que há pastores e líderes religiosos que se aproveitam da fé para adquirir poder e ganhar votos e citou o exemplo de três pastores que estão presos em Bangu I, no Rio de Janeiro, por associação ao narcotráfico.
“Ciro não generalizou e nem colocou todos os cristãos na mesma medida. Mas há aqueles que se aproveitam da bandeira da fé para ganhar dinheiro, assim como existe em qualquer outra categoria, e não apenas no meio religioso”, afirmou.
De acordo com o deputado, é preciso prestar atenção nesse período pré-eleitoral, e não se deixar contaminar por discursos tendenciosos. “Precisamos agir com sabedoria e justiça nesse momento”, assinalou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Web Statistics