Camilo pede que União colabore com políticas de segurança

Camilo pede que União colabore com políticas de segurança

- em Destaque, Política
18

Reunião entre governadores eleitos e reeleitos contou com a presença do futuro ministro da Segurança, Sérgio Moro

O governador Camilo Santana participou de uma reunião com a equipe do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), nesta quarta-feira (12), em Brasília. Na ocasião, o chefe de Estado pediu que o novo governo colabore com o combate à violência nos estados. O pedido foi reforçado pelos demais governadores presentes no evento.

“Quantas vezes nós aprovamos leis nas assembleias estaduais e foram derrubadas por liminar, porque não tínhamos a competência. É papel da União fazer isso. É preciso incorporar nesse debate o Poder Judiciário. 70% dos presos do Ceará são provisórios. É preciso rever essa política do sistema penitenciário, tem um controle maior”, disse.

Camilo pediu que seja feito um pacto nacional para reduzir a criminalidade no país. “É preciso criar um banco de dados. É preciso estar integrado com uma política nacional de segurança pública. Toda a responsabilidade da segurança recai hoje sobre os governadores”, explicou.

Em sua página, o cearense explicou que os governadores do Nordeste entregaram um documento ao futuro ministro da Segurança Pública, Sérgio Moro, presente na reunião. “Nós, governadores do Nordeste, entregamos ao futuro ministro uma série de ações que podem ser implementadas para melhorar a segurança e impedir o avanço do crime organizado, como a segurança integrada nas fronteiras e medidas para o sistema penitenciário”, escreveu.

Segundo o governador reeleito do Piauí, Wellington Dias (PT), já há uma proposta de segurança pública, aprovada no ano passado pelos atuais governadores, que inclui a proteção das fronteiras, com barreiras tecnológicas (por meio de satélites) e presencial (com policiais qualificados). No sistema prisional, a ideia é, além de investimento na estrutura, priorizar a ressocialização.

Via Cnews

Deixe um Comentário

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Veja também

Homem que vendeu rim para comprar iPad sofre com falência renal

Wang Shanghkun tem 25 anos e sofre com