Ladrões explodem caixa eletrônico durante madrugada no Gilberto Salomão, em Brasília

Ladrões explodem caixa eletrônico durante madrugada no Gilberto Salomão, em Brasília

- em Brasil
24

Máquinas estavam na parte interna do mercado. Com impacto da explosão, vidros se quebraram.

Ladrões explodiram dois caixas eletrônicos na madrugada desta quinta-feira (13) em um supermercado no shopping Gilberto Salomão, no Lago Sul, em Brasília. O caso ocorreu por volta das 3h20.

Os caixas estavam na parte interna do mercado. Com o impacto da explosão, os vidros se quebraram.

De acordo com a Polícia Militar, os homens fugiram em um carro branco até a floricultura, que fica na Epia Sul. Lá, eles pararam um motorista e fugiram no veículo dele.

Ainda de acordo com a PM, os ladrões teriam usado o carro para quebrar a porta de entrada do mercado, indo de ré para romper a porta de vidro.

Até a publicação desta reportagem, não se sabia quantos quilos de explosivos foram utilizados nem a quantidade de dinheiro que eles levaram.

Via G1

Deixe um Comentário

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Veja também

Anatel notifica usuários de 15 estados nas regiões Nordeste, Sudeste e Norte sobre bloqueio de celulares

Telefones comprados até ontem, portanto, em regra não