Tribunal reduz a pena de 630 anos de cadeia do gerente que aplicou golpe no BB de Acopiara

Tribunal reduz a pena de 630 anos de cadeia do gerente que aplicou golpe no BB de Acopiara

- em Centro Sul, Destaque
40

O Tribunal de Justiça do Ceará acatou recurso da defesa do ex-bancário e ex-gerente operacional da agência do Banco do Brasil de Acopiara (a 340Km de Fortaleza), Cleone César Pereira Bezerra Piancó. Em dezembro de 2014 ele foi condenado a uma pena recorde de 630 anos de prisão, por envolvimento em uma fraude milionária no BB. Com o recurso, a sentença foi modificada e a pena reduzida para 43 anos, o que significa, uma diminuição de 587 anos de cadeia.

A condenação do gerente aconteceu após uma longa investigação policial em que Cleone Piancó foi acusado, juntamente com Deusimar Alves Cavalcante (gerente geral) e Antônia Marlúcia Gonçalves de Lima (ex-funcionária da Prefeitura de Acopiara), de ter subtraído valores das contas dos correntistas do BB daquela agência, além de contrair empréstimos exorbitantes mediante a manipulação de senhas e cartões de 30 clientes.

Segundo investigações da Polícia com o apoio do Ministério Público Estadual (MPE), o trio causou graves prejuízos financeiros para 33 clientes da agência, entre pessoas físicas e jurídicas. Os acusados foram denunciados pelos crimes de peculato eletrônico, falsidade ideológica, lavagem de capitais e formação de quadrilha. Na contestação, os suspeitos alegaram insuficiência de provas, bem como, provas obtidas por meios ilícitos (sem autorização judicial). Por conta disso, requereram a improcedência da ação penal. Ainda assim, os três réus acabaram condenados.

Cadeia e multa

O juiz de Direito da 2ª Vara da Comarca de Acopiara, David Fortuna da Mata, considerou que Cleone Piancó teria “manipulado de forma fraudulenta as contas bancárias, realizando transferências, saques e contraído empréstimos, sem a autorização dos clientes (vítimas)”.

Além dos 630 anos e 29 dias de cadeia, bem como pagamento de 19.181 dias-multa aplicados ao ex-gerente operacional, o juiz condenou também os outros dois réus. Antônia Gonçalves foi apenada com 106 anos e dois meses de prisão e pagamento de 3.160 dias-multa. Deusimar Alves Cavalcante foi condenado a 92 anos de reclusão.

Reduziu

O recurso no TJCE contra a decisão do juiz foi impetrado pela defesa do réu, representada pelos advogados Paulo Quezado, Renan Benevides Franco, Ricardo Rocha Lopes da Costa e Eduardo Diogo Diógenes Quezado. A desembargadora Francisca Adelineide Viana acatou o recurso e reduziu drasticamente a pena imposta ao ex-gerente, que permanece preso, mas poderá ser beneficiado com a progressão de regime.

Via Blog do Fernando Ribeiro

Deixe um Comentário

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Veja também

Homem que vendeu rim para comprar iPad sofre com falência renal

Wang Shanghkun tem 25 anos e sofre com